terça-feira, 8 de novembro de 2011

Quanto mais os filhos crescem, mais problemas aparecem!



Meu sonho desde menina, sempre foi ser mãe, mas nunca imaginei que a maternidade poderia ser tão complicada!

Quando o Samuel nasceu, ele chorava dia e noite e foi tudo muito difícil para mim. Até eu ter coragem de trocar de médico e descobrir o problema que ele tinha, foram longos 8 meses. Nessa fase, emagreci, sofri e quase tive uma depressão. E quando tudo passou, fiquei com a sensação, que dali para frente tudo seria mais fácil! Mero engano!

A maioria das crianças chora quando começa um ano letivo e precisam se separar dos pais, mas com meu filho, sempre foi tudo diferente do “normal”! Faz duas semanas que ele chora quando eu o deixo na escolinha. Mas não é um chorinho qualquer é uma berraçada! Eu até acreditaria que havia acontecido algo errado dentro da escola, se isso já não tivesse acontecido em outras escolas que ele já passou. Isso mesmo, com 3 anos, ele já está na terceira escola.

Em todas as escolas, num certo período do ano, ele faz isso, e em outras situações eu o troquei de escola, após algumas semanas de choradeira. Creio que nenhuma mãe se sentiria segura em deixar seu filho aos berros na escola. Entretanto eu quero pôr um ponto final nisso, pois acredito que não seja normal, já que o fato já se repetiu por 3 vezes em 3 escolas diferentes.

Na escola que ele está atualmente, tem até acompanhamento psicológico, e claro que fui procurar ajuda de um profissional. Primeiro eles ouviram ele, para ver se ele contava se algum amiguinho havia batido nele, ou para tentar descobrir onde estava o problema. Na conversa com a psicóloga, ele contou que eu estava grávida de uma menina, e que ele e o pai já tinham até escolhido o presente que dariam para a menina, uma casa da moranguinho. Até ai, tudo certo, pois estava explicado o motivo dos berros, quando eu o deixava na escola, é a insegurança de perder a mãe para o bebê que estava por vir. Tudo certo, se isso fosse verdade, pois eu não estou grávida e está nos nossos planos isso por enquanto.

Fui chamada na escola, para o veredicto da conversa e quando eu disse que não estava grávida, a psicóloga ficou de “boca aberta” e sem reação, pelo fato de uma criança de 3 anos mentir daquela forma tão real, com tantos detalhes. Em nenhum momento ela duvidou que ele não estivesse falando a verdade, de tão convincente que ele foi.

Durante nossa conversa levantamos várias hipóteses, que serão investigadas na escola e em casa, num trabalho em conjunto. Descobrimos também, que ele mente o tempo inteiro sobre acontecimentos do dia a dia. Por exemplo, ele dizia que sentava todos os dias ao lado da menina que ele gosta, a Letícia, e isso é mentira. A professora disse que sempre faz rodízio nas mesas, para que todos sejam amigos e possam se conhecer. Fiquei assustada, pois eu também acreditava que o que ele falava era verdade.

Será que agora não poderei mais acreditar no que meu filho de 3 anos fala? Estou muito abalada com toda essa situação, pois se isso não for tratado agora, pode ficar muito mais grave à medida que ele for crescendo.  

Ontem como falei com a professora e eu já sabia quem havia sentado ao lado dele, perguntei só pra ver se ele mentiria novamente, e ele mentiu. Disse novamente que sentou ao lado da Letícia, e somente falou a verdade, quando eu falei que iria escrever um bilhete na agenda para perguntar para a professora. O que leva uma criança a mentir assim, na cara dura e com tanta veracidade? Vou tentar fazer o tratamento com a psicóloga da escola por um certo tempo, se ele continuar chorando para ficar na escola e mentindo dessa forma, terei que procurar uma ajuda fora.

E eu que pensei que bebês é que davam trabalho!

5 comentários:

  1. Keite que coisa... Não tenh muita coisa pra dizer, mas a melhor forma é tratá-lo com um psicólogo sim...
    Espero que resolva logo.

    Beijos
    Carol

    ResponderExcluir
  2. Oi Keite, nessa idade a capacidade imaginativa da criança aflora. É onde ela cria um mundo de conto de fadas pra viver nele. Tipo um mundo paralelo onde ela pode mentir, brincar, ser super herói, onde pode não seguir as regras sociais da escola e de casa. O que deve estar acontecendo com o Samuel é que pra ele deve estar mais divertido mentir do que falar a verdade...Isso passa com muita conversa... Beijus

    ResponderExcluir
  3. Oi querida, até eu fiquei achando que vc estava gravida, rs. Olha eu nem sei o que dizer a não ser que criança nesta fase imagina muito. O meu filho, tava com mania de dizer que era os brinquedos que fez algo de errado. Aí eu fui dizendo que era pra dizer a verdade sempre nada de mentira e ele parou!!!! acho que um bom passo é vc não mudar de escola novamente porque senão ele vai chorar pra sair da proxima... Cris

    ResponderExcluir
  4. Menina, quando li o título de seu post, vim rapidinho ler... pode ter certeza de que quanto mais os filhos crescem as dificuldades para os pais são bem maiores, eu que o diga com uma adolescente aqui em casa!

    Eu concordo que vc deva fazer um trabalho em conjunto com a psicóloga da escola, mas, uma psicóloga fora do ambiente escolar talvez também seja interessante porque com certeza ela irá trabalhar com ludoterapia (a criança vai sendo analisada enquanto brinca); essa situação facilita muito à criança colocar mais espontaneamente seus conflitos. Só estou sugerindo isso porque trabalhei 25 anos com crianças da fase de idade de seu filho e também sou psicóloga.

    Bjs

    Sil

    ResponderExcluir
  5. Oi, cheguei agora por aqui e confesso que me assustei com o post...menina, difífil a situação...
    Mas tb acredito que vc está no caminho certo, ajuda psicológica é muito bom, com certeza esse trabalho em conjunto terá bons resultados...

    boa sorte!

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar em meu Blog!! Beijinhos...